No âmbito da deslocação à Ilha Terceira de agentes de turismo e jornalistas vindos de Nova Iorque, promovida pela Câmara de Comércio de Angra do Heroismo e Azores Airlines, realizou-se uma degustação da cerveja denominada Pedro Francisco, que se realizou no Império do Terreiro, a cuja comissão também agradecemos pela sua cedência. Seguindo-se uma breve explicação pelo Dr. Francisco Maduro Dias. A atividade prosseguiu com a encenação do rapto de Pedro Francisco pelo Teatrinho Espetáculos e pescador local, encenação essa com início no Império do Terreiro e término no Porto de Pescas, de onde Pedro Francisco foi raptado. A Junta de Freguesia agradece à Câmara do Comércio, pela divulgação da história do Herói da Guerra dos Estados Unidos, nascido no Porto Judeu, assim como também a todos os envolvidos neste projeto, prestando ainda um agradecimento muito especial ao Adelino Vieira e Marco Vieira pela cedência da lancha, e participação na encenação, respetivamente

18 de junho de 2022 – Desfile de Freguesias – Vila de Porto Judeu

Iniciamos o desfile com a bandeira gigante, orgulhosamente transportada por onze homens (Afonso Castro, António Silveira, Carlos Lima, Carlos Machado, Hélder Tavares, Hildeberto Borges, Joao Castro, Jorge Carvalho, José Rocha; Marco Santos e Sérgio Silveira). Segue o executivo: Honória Leandro, Cizaltina Dutra e Silva, José António Diniz, e o Presidente da Assembleia, Duarte Melo.

Deixamos o texto que o acompanhou, com alguns agradecimentos entre parênteses.

“A Vila de Porto Judeu apresenta neste desfile o cortejo do bezerro dos bodos do Espírito Santo, conforme era celebrado em tempos de outrora, e conhecido pelas suas características diferentes das restantes freguesias da Ilha Terceira. O bezerro (gentilmente cedido por Carlos Lima e guidado pelo seu filho Rui Lima e amigo Pedro Fortuna, rodeado pelos amigos Petra Soares, Amadeu Soares e Helena Leal), vai enfeitado por fitas que são feitas por mãos talentosas (Filomena Dutra) e transportadas numa cesta ladeada por duas crianças (Matilde Furtado e Tomás Furtado). Enquanto o cortejo desfila, os “mordomos” e seus amigos vão enfeitando o bezerro (Mercês Lima e Catarina Lima). Outros amigos ou conhecidos cantam o pezinho em determinados pontos do percurso (João Mendonça escreveu as quadras que foram cantadas por Aurora Gomes, Rosana Melo, Paulo Fortuna e Reginaldo Sequeira, acompanhados à guitarra por Jéssica Leal, Rita Sousa, Nuno Melo, Miguel Leal e Rafael Azevedo), e a filarmónica vai tocando durante o restante (Associação Cultural do Porto Judeu). Várias mulheres trazem o que era colocado na mesa aos convidados que acompanhavam o cortejo atrás do bezerro (Anaísa Faria; Carla Santos; Denise Melo: Goreti Leal; Mónica Silva; Paula Maciel; Vanessa Leal e Vanessa Magina). Segue-se o jantar na casa do mordomo. No Porto Judeu, terra de pescadores, era hábito servir alcatras de peixe (Restaurante Boca Negra), gratuitamente cedido pelos pescadores que tiravam um dia de trabalho para servir o Senhor Espírito Santo. O pão, queijo, favas, azeitonas, vinho e sumos compunham o resto da mesa. Um jovem casal carrega o açafate (Verónica Sousa e Diogo Aguiar) com as rosquilhas que são distribuídas ao criador do bezerro, assim como a outras pessoas que prestam ajuda de maior relevância ao mordomo (Ângela Silva). Obrigada Paulo Medeiros e Richard Silveira (os homens dos foguetes). Obrigada às instituições que aceitaram, de forma reconhecida, o nosso convite para integrar o cortejo, assim como a toda a população que saiu atrás do cortejo, e àqueles que se foram juntando a nós enquanto desfilávamos.

Gratidão!

Em preparação para o desfile. Temos tantos agradecimentos a fazer! Por agora, fica o registo do “antes”.

Projeto “A Minha Ribeira” integrado no programa “Eco-Freguesia, Freguesia Limpa” – 140 freguesias inscritas em 2021, estando a Vila de Porto Judeu entre as 30 freguesias distinguidas, com a atribuição de prémio (máquina roçadora). Um agradecimento muito especial aos nossos colaboradores, que nas condições mais adversas e por vezes ingratas, tornaram possível o reconhecimento e consequente atribuição do prémio.

Depois da aquisição de dois lotes junto à Baía do Refugo, assim como também das duas moradias em ruínas, também no Refugo, hoje assinamos a escritura de compra e venda da antiga sede dos Leões e casa adjacente (a necessitar de intervenção).

O Porto Judeu em constante evolução…